Papo de Músico: André Cambuzano Briuza

Fala galera, beleza? Aqui quem escreve pra vocês é o Fernando Alvarenga, lançando a #3 edição do Papo de Músico, no JacareZine. Hoje a conversa é com um dos maiores guitarristas do país André Cambuzano Briuza, o grande Briuzão!

Briuza, seja bem vindo ao nosso Papo de Músico do JacareZine, quero dizer que é um prazer imenso estar te entrevistando.

Fernando Alvarenga - Andre Cambuzano Briuza

FERNANDO – Qual é a sua naturalidade?
ANDRÉ – Sou de Jacareí, filho de Mir Cambuzano e Marly Magalhães Cambuzano, meu pai e minha mãe são de famílias tradicionais de Jacareí.

FERNANDO – Como foi o seu primeiro contato com a música?
ANDRÉ – O primeiro contato com a música de minha geração é com o Seresta, Elvis Presley e rock. A gente cantava aquele inglês maluco …….
Quando ouvi pela primeira vez um single do Led Zeppelin: Since I´ve been Loving You, Celebration Days e o primeiro disco do Black Sabbath aquilo bateu como um martelo em minha cabeça…..

FERNANDO – Qual é a sua formação como músico?
ANDRÉ – Eu estudei com muitas pessoas, talvez isso me deixe com essa personalidade meio maluca….rrsrsrsr. Estudei com o prof. Luís, depois com Rubinho violão clássico, naquele tempo a gente só conhecia o primeiro nome e ia estudar. Depois estudei com José Carlos Cruz, Jorge Pagano, Márcio Cobrinha, Maestro Carlos Rocha, Moisés Trompete (leitura e percepção musical)….. Ai depois disso tudo eu fui pra EM&T São Paulo porque eu queria sacar mais coisas e tal, ai estudei três anos com o Jefferson Ardanuy ….. me formei em 2003 em guitarra fusion e me graduei em 2005, quando fiz minha apresentação de graduação, montei uma banda com os caras daqui de Jacareí, Jorge Medrano, Toninho Papf, Marcião Batera e Fernando Pontes, mais conhecido como Fernando Passarela rsrrsr…. Depois fiz um ano de curso personal Jazz com Michel Leme…..a partir daí resolvi que era hora de caminhar só…….

FERNANDO – Fale sobre os seus trabalhos e projetos?
ANDRÉ – Comecei com a primeira banda de metal de Jacareí (isso aos 14 pra 15 anos), Serpente do Éden, quem é da época lembra até hoje…. Depois continuei trilhando caminhos diferentes, 3 Andre Cambuzano Briuza banda Serpente do Edentoquei com a galera dos Medrano, Lino Ventura, Marcião Batera e Ary teclado no Produto Social, banda de baile e animação legal, onde tentamos até um Pink Floyd Cover que rolou legal no Ovelha Negra, bar do nosso amigo Tony Artsol e algumas outras aparições….. Depois disso investi num trio de cordas (Briuza, Mauro e Juninho) com muito MPB e solos de guitarra e violão, montamos então Os Piratas do Rock And Blues Friends com Barbosão no vocal ( o cara cantava legal), Zé Paulo no baixo e Lincão na Batera, formação legal, mas na música tudo é muito louco e não virou.2 Andre Cambuzano Briuza banda Albatroz Também toquei na Albatroz com Alfredo Daher e Osmar mão de ferro….então surgiu o Blues em Jacareí ai nós formamos a

4 Andre Cambuzano Briuza banda Valle BluesVegetal Blues que não deu certo, e logo em seguida surge a Valle Blues que continua até hoje, não sei se pelo nome ou pela gente, eu e o baixista Feijão e por tudo e todos que passaram por essa banda…… rsrsrrsr.

Depois disso aderi a alguns projetos, como Nando Luz “Mautnerianas” e hoje estou investindo em músicas próprias com meus projetos “In Rocks On The Rocks”,  “Alone and Blues” e “Made In?”Esta a venda na onerpm e itunes.

 

5 Andre Cambuzano Briuza banda AlbatrozFERNANDO – Como as pessoas ficam sabendo aonde você se apresenta com os seus projetos?

ANDRÉ – Normalmente anuncio na net via face.
www.facebook.com/andre.briuza

FERNANDO – Quantos anos você trabalha com música?
ANDRÉ – Cara difícil saber, eu acredito que desde os 14 anos, às vezes sem ganhar nada, às vezes ganhando alguma coisa, algumas vezes ganhando o quanto devemos ganhar e assim a gente continua…..

FERNANDO – Quais são as suas principais atividades como artista?
ANDRÉ –  Eu sou professor de arte efetivo nas escolas estaduais, sou professor de música às vezes em escolas de música, por vezes em casa, e por ai vai……

FERNANDO – Grande Briuzão! Você é professor de educação artística. Gosta de combinar música com a matéria?
ANDRÉ – Tento discutir alguns aspectos de como a música caminha através dos tempos, porque a composição é um ser mutante através de nossa história…….e um pouco de história da música. “Afinal a música assim como as outras  artes caminha junto com a história da humanidade”.

FERNANDO – Fale um pouco sobre a sua discografia.
ANDRÉ –Eu tenho três discos lançados on line pela distribuidora digital OneRpm, quem quiser adquirir uma faixa ou mais é só acessar onerpm/andrebriuza ou onerpm/andrecambuzano, o brasileiro ainda não tem o hábito de comprar música on line, principalmente pelo Itunes, mas acredito que é um caminho, esses meus discos são artesanais eu produzi tudo sozinho desde a composição até o produto final, isso gera algumas falhas; mas estão lá e são meus como filhos.,….
É só acessar onerpm e procurar andrebriuza ou andrecambuzano ai tem um pouco do meu trabalho ou minha vida musical nas mãos…….

FERNANDO – Qual é a sua concepção para compor?
ANDRÉ – O elemento base para compor uma música é o ritmo, às vezes começo a tocar alguma coisa no violão ai penso estou tocando 2/4, ¾ ou 4/4? Parece mais baião ou samba?…. ai vou cantarolando uma melodia e por vezes ela encaixa. Acredito que a composição é um processo de experimentação…..o músico é como um cientista só que através do som.Ás vezes penso “Será que essa composição vai mexer com o interior, ou espírito de alguém?”…. a música é um universo de coisas…..

FERNANDO –  Fale um pouco sobre improvisação em Rock, Blues, Jazz, Bossa, entre outros estilos que gosta.6 Andre Cambuzano Briuza banda Albatroz
ANDRÉ –  No Rock eu fui criado nas antigas…então basicamente são escalas pentatônicas e modo eólio como Black Sabbath, Iron Maiden etc., no blues é rítmico, quem trabalha com uma escala de cinco notas tem de pensar mais no ritmo(mão direita), tem de pensar mais no swing do que na técnica, ou seja, como essa nota vai soar. Quem vai ouvir tem bater o pé no chão, ai você vê e sabe que a pessoa esta curtindo…… No Jazz e na bossa nova eu parto mais covardemente pros arpejos de acorde e algumas escalas, sei lá é um caminho que achei pra facilitar……assim contínuo na música sem machucar o ouvido de ninguém…..

FERNANDO – Você costuma pensar em cada composição como uma história. Como foram feitas algumas de suas músicas e o porque de cada nome?
ANDRÉ – Eu tenho mania de compor pensando em imagens, assim a maioria de minhas músicas tem um pouco de visual, algumas músicas minhas são compostas como trilha para um vídeo clipe….Molecada por exemplo é uma música que compus em 2005 e a imagem que passava em minha cabeça era de um vídeo clipe com moleques em preto e branco jogando futebol, empinando papagaio, jogando taco e outras coisas da infância, já na música Maiden in Sertão eu imaginei uma peleja do Eddie do Iron Maiden com Lampião, porque eu aproveitei um trecho da base de um solo do Iron e trabalhei a melodia em cima disso só que com ritmo de baião…..

FERNANDO – Conte um pouco sobre a trajetória do seu pai (Mir Cambuzano) e o relacionamento que ele teve com a música.
ANDRÉ – Meu pai era um artista muito versátil, ele era compositor, pintor, escultor e fotógrafo. Na música ele participou com suas composições em vários festivais, ganhou um FEMPO que era um festival grande de música de Jacareí, teve algumas de suas composições gravadas pelo cantor Domingos José na Continental de SP que era uma gravadora de grande porte na época, fez jingles políticos e também chegou a final do festival estadual de música sertaneja, onde teve sua música lançada no disco do festival, ele era muito ativo e criativo nas suas idéias musicais…..

FERNANDO – Cite outras artes que gosta, como elas acrescentam na sua musicalidade e a sua importância na hora de compor?
ANDRÉ – Eu gosto de desenho abstrato, aliás meu pai chamava de abostrato rsrsrr (o velho era figura…), mas o abstrato é legal são cores, imagens, formas que você define como quiser….elas me ajudam a criar… as vezes fico observando uma flor, mas não a flor em si, mas seus desenhos em suas folhas e por ai vai.

FERNANDO – Muito interessante Briuzão. Você utiliza técnicas de sinestesia em suas composições? Exemplo… Cada acorde tem uma cor.
ANDRÉ – Não sei se é isso, mas como curto compor instrumental e acho que por si só esse estilo de música já é abstrato, a pessoa ouve e imagina o que ela quiser, às vezes o nome da música sugere uma idéia, mas o ouvinte está imaginando outra coisa…

FERNANDO – Você toca mais algum instrumento?
ANDRÉ – Toco Baixo e violão, estou tentando alguns outros mais a guitarra é o principal….

FERNANDO – Uma das apresentações mais marcantes que você fez durante a sua carreira.
ANDRÉ – Cara tinha um bar em Jacareí chamado de Ovelha Negra e nos apresentamos, eu, Marcião batera de Santa Branca, Ary teclado, Joe Medrano, Fred Medrano, Lino Ventura e Cida Lima, estávamos fazendo um Show de Pink Floyd Cover, quem assistiu não deve ter esquecido até hoje….foi muito legal, fora os shows do Serpente do Éden com toda sua precariedade……e por ai vai….

FERNANDO – Quais são os seus equipamentos?
ANDRÉ – Eu tenho um ampli Hughes and Ketnner e uma pedaleira que montei com tube screamer, cry, compressor, booster, analog delay, chorus, flanger, phaser e agora inclui aquele vtone da behringer.

FERNANDO – Dica pra galera que pretende seguir carreira profissional.
ANDRÉ – Cara, tem que estudar, quanto mais conhecimento e versatilidade melhor, nos dias de hoje e principalmente no Brasil é assim que você vai sobreviver, eu acredito que nós músicos brasileiros somos os mais versáteis do mundo……

FERNANDO – Conte uma novidade em primeira mão para o JacareZine?
ANDRÉ – Em 2015 vou lançar mais um disco pela onerpm….

FERNANDO – O que você acha dos músicos da nova geração?
ANDRÉ – Tem muita gente boa vindo, preciso estudar mais……kkkkk.

FERNANDO – Quantas horas por dia você estuda música?
ANDRÉ – cerca de 3 a 4 horas por dia.

FERNANDO – Sites que as pessoas possam conhecer mais sobre o seu trabalho.

ANDRÉ –
In Rocks On The Rocks –
https://onerpm.com.br/album/manage&album_number=328474832
Alone and Blues –
https://onerpm.com.br/album/manage&album_number=450283144
Made In ? –
https://onerpm.com.br/album/manage&album_number=254046061

Youtube –
https://www.youtube.com/watch?v=-7bb4sDRQAw
https://www.youtube.com/watch?v=dRjFNels-5M
https://www.youtube.com/watch?v=hRDwCYxSDp8
https://www.youtube.com/watch?v=7gVyAtDGmj8
https://www.youtube.com/watch?v=svveeZtpBzM
https://www.youtube.com/watch?v=7VbGNDm-kOw
https://www.youtube.com/watch?v=wHaDxe_nAyE
https://www.youtube.com/watch?v=gFRJLKWrt-o
https://www.youtube.com/watch?v=F24BVQWd4ds
https://www.youtube.com/watch?v=EGU_Q1N7T0g
https://www.youtube.com/watch?v=c_ZohN7UYJk

Coletânea -“Guitars on the Road” que participo com a minha música “Espelhos”, juntamente com grandes guitarristas –

Baixe grátis a coletânea completa.

Download: https://mega.co.nz/#!KxtXwIgQ!rCI_vIXcMcGuvfhyJLojBYCo01faqYq0YeRmYT99Fkg

Guitars on the road capa coletânea

FERNANDO – Você se preocupa com o assunto identidade musical?
ANDRÉ – Isso é uma coisa muito peculiar, quando estava na EM&T Jabaquara fui fazer a prova do módulo 8; e fui até razoavelmente bem, no final fui conversar com o Mozart Mello e ele me falou o seguinte: Você viu como você tocou as Bossas e os Jazz? Viu como o menino tocou os metal e heavy? Acho que ai cada um tira sua conclusão, escolhe seu caminho. Na música existem várias linguagens, o principal objetivo é se você consegue mexer com o emocional e a energia de alguém ou não….. cada um tem sua pegada, seu som…..

FERNANDO – 5 Influências nacionais e 5 internacionais?
ANDRÉ – Black Sabbath, Jimi Hendrix, Buddy Guy, Pat Metheny, Jimmy Page1 Andre Cambuzano Briuza
Toninho Horta, Ricardo Silveira, Dom Rocha, Moisés Trompete, Heraldo do Monte.

FERNANDO – Para quem deseja ter aulas com você, como te encontrar?
ANDRÉ – É só entrar em contato pelo tel (12) 997936663 (Jacareí-SP).

FERNANDO – Você pretende lançar vídeo aulas e métodos de guitarra?
ANDRÉ – No momento estou querendo tocar, pois já faz algum tempo que estou só ensinando e tocando pouco, se houverem músicos interessados e com carteira da ordem, estou enviando projetos meus para os SESCs deixem seus contatos no email andrebriuza@hotmail.com.

 

FERNANDO – Grande BRIUZÃO, quero te parabenizar pelo trabalho e agradecer pela excelente conversa. Foi um prazer imenso te entrevistar. Obrigado a todos do JacareZine, por estarem cedendo este espaço e fazendo com que a arte cresça a cada dia. Briuza, o que você gostaria de dizer para a galera que está acompanhando a matéria no JacareZine?
ANDRÉ –  Na música assim como na Capoeira, você tem que treinar, treinar e treinar e ainda assim descobrir qual o caminho que você quer trilhar….
FERNANDO – Muito obrigado a todos por terem acompanhado a matéria até o final.

Até a próxima edição do nosso PAPO DE MÚSICO no JacareZine. Grande abraço!!!

Curta: www.facebook.com/jacareZineBrasiloficial

Fernando Alvarenga
Músico profissional / professor de guitarra e violão/ colunista JacareZine.
www.fernandoalvarenga.blogspot.com
www.facebook.com/fernandoalvarengaofficial

Fernando Alvarenga foto Diogo Fernandes

foto:Diogo Fernandes

Anúncios

2 Respostas para “Papo de Músico: André Cambuzano Briuza

  1. Parabéns pela entrevista, o André é realmente um grande talento da nossa cidade, fico muito feliz em ver e poder compartilhar essa entrevista para que os nosso alunos conheçam e façam bom proveito desse profissional, que além de ser um dos melhores músicos de Jacareí, também está em sala de aula.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s